CVC Turismo: Cadastros em programas de fidelidade

A Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF) divulgou os indicadores de mercado referentes ao segundo trimestre de 2016 (2T16).

A quantidade de cadastros em programas de fidelidade em cinco das empresas associadas (Dotz, Grupo LTM, Multiplus, Netpoints e Smiles) aumentou 17,5% nos últimos doze meses, alcançando 74,6 milhões no final do segundo trimestre.

A quantidade de pontos/milhas acumulados ficou em 39,7 bilhões, 1% menor que o registrado no 1T16. Os resgatados foram 33,1 bilhões de pontos/milhas, queda de 4,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Confira:

A volatilidade do dólar é o principal fator que impacta diretamente no acúmulo e resgate de pontos/milhas. “Sentimos maior engajamento dos consumidores em utilizar os programas de fidelidade.

O crescimento dos cadastros exemplifica isso, claramente, e demonstra mais popularidade por parte dos programas.

A queda dos pontos emitidos e trocados, no entanto, é justificada pela alta do dólar, já que os pontos considerados neste trimestre são reflexo do que foi repassado pelos bancos com uma taxa cambial maior, mas, com o dólar retornando sua estabilidade, a expectativa é que esses indicadores voltem a aumentar”, ressalta Roberto Medeiros, Presidente da Associação.

A ABEMF também apresenta novos indicadores, que destacam detalhadamente as preferências dos consumidores no setor. As passagens aéreas continuam sendo as preferidas pelos clientes ao trocar pontos/milhas por produtos e serviços, mas outros produtos têm ganhado espaço.

No 2T16, 70,6% dos pontos/milhas foram trocados por bilhetes aéreos. Os outros 29,4% foram para resgatar, principalmente, itens que ajudem no orçamento.

Na faixa até R$ 50, o item mais procurado foi o vale presente. Entre R$ 50 e R$ 100, ficou em primeiro lugar o crédito para combustível.

Na faixa acima de R$ 100, o pagamento de contas foi o serviço mais resgatado “Isso demonstra que os consumidores têm utilizado os pontos/milhas não somente para viajar, mas para complementar os gastos do dia a dia”, conclui Roberto Medeiros.

Outro dado que comprova o quanto o consumidor está vendo vantagem nos pontos/milhas, é o crescimento do acúmulo no varejo.

Os associados da ABEMF, juntos, levantam que, apesar da maior parte do resgate estar direcionado ao aéreo, apenas 11,7% dos pontos/milhas acumulados são referentes à emissão de passagens.

Os 88,3% restantes são acúmulos feitos no varejo e, principalmente, por meio do cartão de crédito, comprovando o valor que o consumidor vê em acumular por outras frentes para viajar mais.

Quantas Estrelas Vale Este Artigo?

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

CVC Viagens: Preços de Passagens Aéreas na Latam de 2018

Os preços de passagens aéreas na LATAM neste início de ano estão cada vez mais baixos. Em uma simulação feita por analistas, foram encontradas passagens por menos de R$ 100,00 para viagens de uma pessoa adulta em um percurso menor.

A LATAM, empresa de aviação civil do Brasil que antigamente era conhecida como TAM, mas após fusão com a empresa espanhola LAN se tornou LATAM, vem surpreendendo nos preços de passagens aéreas neste início de ano.

Preço de passagens aéreas – Para voos para a região Nordeste do Brasil, podem ser encontrados voos a um preço de R$ 196,90 (partindo de Brasília para Salvador) e R$ 149,90 partindo de São Paulo para Salvador.

passagens aéreas

Passagens aéreas com boas ofertas – Já para viagens partindo de Brasília para Recife, podem ser encontradas passagens por R$ 241,00 para esse início de ano.

As pessoas costumam viajar para o Nordeste essa época do ano, ou compram a passagem antecipada para aproveitar o carnaval de Olinda, por exemplo, ou os carnavais com show de Axé, em Salvador que são bem requisitados.

Já pra quem faz o percurso contrário, com uma simulação feita de Porto Seguro na Bahia para São Paulo, o preço fica por R$ 362,90, todos esses valores podendo ser divido em até 6x ficando por prestações de R$ 60,49 no último exemplo.

Essas viagens são para somente uma pessoa e ainda não estão inclusas taxas, porém elas costumam ser na faixa de R$ 30,00 reais junto ao valor da passagem.

CVC

O preço das passagens aéreas no Brasil aumentou 131,5% acima da inflação desde 2005, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A informação será apresentada pelo presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Flávio Dino, na reunião marcada para quinta-feira (31) entre o governo e representantes das companhias aéreas. Confira:

Segundo ele, o desequilíbrio entre demanda e oferta e o aquecimento do mercado faz com que haja práticas comerciais abusivas – que ficam mais evidentes no caso das festas de fim de ano e agora da Copa do Mundo do ano que vem -, sendo verificados aumentos de 1000% no preço das passagens.

Não temos nenhum fator econômico objetivo no que se refere a custo ou tributação que justifique esse aumento, que é obviamente abusivo, acrescentou.

Outra medida para reduzir o preço das passagens no país seria ampliar a oferta mediante a abertura do mercado para empresas estrangeiras fazerem voos domésticos no Brasil.

Se as empresas atuais não conseguirem ter práticas adequadas e oferecer bons serviços a preços justos, o mercado brasileiro é altamente atrativo para outras empresas.

Os preços da hotelaria também estão na mira da Embratur. Segundo o ranking que será apresentado na reunião, o Rio de Janeiro aparece em quarto lugar nas tarifas de lazer, com diária média de US$ 210, atrás apenas de Miami, Punta Cana e Nova York.

Aí junta passagem aérea, que muitas vezes também é mais barata.